Faz o que tiver de fazer…

Nos corredores só ouviam o barulho do salto 15. Ela estava apressada, porque sabia que a conversa marcada em um quarto de um hotel qualquer, bem no centro da cidade, tinha de ser rápida. Ela caminhou pelo pequeno corredor que parecia não ter fim. Ao chegar na frente do quarto, ajeitou o cabelo, arrumou os seios e abriu a porta. Ele já estava esperando por ela sentado na beira da janela, olhava o trânsito intenso e um casal que discutia do outro lado da rua, com uma expressão fechada, demonstrando cobrança em ambos os olhares.

Ela jogou a bolsa sobre a cama e parou de frente a ele e indagou qual seria o motivo daquele encontro. Ele olhou em seus olhos, levantou se aproximando, passou a ponta dos dedos sobre os lábios dela. O batom era vibrante, a cor que o desequilibrava sempre. Ela se esquivou, andou até a janela e observando também o casal, lembrou do dia em que se conheceram.

Ele ainda de costas, afirmou: – Eu lembro daquele dia como se fosse hoje. Derrubei cerveja em você e logo me deu um tapa na cara. Sabe que foi ali que eu te amei pela primeira vez? -. 

Ela se virou. Queria encará-lo e fazer com que engolisse meia dúzia de ofensas que já havia preparado, mas não conseguiu quando ele virou e olhou em seu olhar. – Você tem meu coração. Se eu errei ou não, você sempre terá meu coração. -, ele afirmou fitando os olhos sobre ela. Ele sempre fazia isso e, por mais patético que pareça, ela sempre caia.

E quando os olhos dela brilharam, seus lábios ficaram entreabertos, como quem pede por beijo e amor. Ele avançou, é óbvio. Avançou porque sabia que aquele era o instante em que o amor falara mais alto. Já entre um beijo e outro, pareciam um só. Espremidos na sacada, a beira da janela, ela já estava sem a blusa, quando tentou relutar contra o coração. Mas ele era esperto, sabia que era a satisfação dessa mulher. Se esticou e foi o seu colchão.

Ela tentou indagar: – Não, é que…, – e ele logo completou: – …É que o quarto treme enquanto estamos juntos. É que você já era minha, mesmo estando de lá. – afirmou pegando-a pela cintura. E sim, o sol parecia ter parado lá fora, porque ele se deu conta que, além dos lábios, a lingerie também era vermelha. Ela tinha seios fartos e um bumbum avantajado e estava em êxtase carnal, quando se deu conta que não conseguiu despejar nenhuma das ofensas que havia preparado.

Entre o beijo molhado, o afago, o cheiro e o aperto no peito, eram 15 horas e eles eram um só. Ainda de corpo e alma nu, ele abriu o coração: – Eu tentei ensaiar algumas coisas pra te dizer, mas eu não consigo. Meu corpo sempre fala por mim -. Ela escutou em silêncio, com olhar paralisado no teto, seus olhos encheram de lágrimas e ele quis saber o que houve. Ela se virou, olhou em seus olhos e não disse nenhuma palavra. Caminhou até a janela, olhou o casal que ainda brigava do outro lado da rua.

Sem entender nada ele continuo indagando: – Ei, o que houve? -. Ela se virou com as mãos sobre os seios e começou a dizer: – Conseguiu, você invadiu minha razão. Mas vou dizer: foi como eu sonhava! Me pegou com os olhos, as mãos, os lábios e alma de corpo nu. Então relaxa, faz o que tiver de fazer, por que mais um desses casais me recuso a ser. Eu não vou cozinhar lasanha no domingo e levar sua cerveja no sofá -. Espantado e com um sorriso tímido, ele prontamente rebateu: – Você vai cozinhar o que você quiser e não precisa trazer minha cerveja no sofá. Eu te acompanho na cozinha ou onde você quiser estar. Porque mais um desses casais, eu também me recuso a ser – e já sussurrando em seu ouvido ele disse: – Prefiro ser teu colchão. Então relaxa, faz o que tiver de fazer!

thamires

3 comentários em “Faz o que tiver de fazer…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s