A teimosia dos seus olhos azuis

Quando esses olhos azuis cruzaram com os meus pela primeira vez o mundo parou de girar. As pessoas a nossa volta desaceleraram e tudo se resumiu a faísca de paixão que surgiu naquele segundo. Você veio até mim sem tirar seus olhos dos meus e, então, eu passei o resto da noite olhando para esses olhos que me olhavam de volta com malícia, com vontade de sair dali e me olhar com mais intensidade em outro lugar. Com uma imensidão tão grande quanto o outro azul: do céu. E eu me perdia nessa imensidão, com vontade de voar cada vez mais alto com você. 

Mas agora seus olhos não encontram mais os meus. Teimam em desviar quando os meus chegam perto. Porém sei que você ainda me olha com malícia. Por algum motivo, não entrega mais esse olhar diretamente ao meu. Mas quando você entregar. Ah, quando você entregar… Não será apenas uma faísca; Serão fogos de artifício. Será um fogo incontrolável dentro de nós. Será uma noite que ficará marcada para sempre em nossas memórias. E por um bom tempo em nossos corpos. 

Porque aquela malícia não está só no seu olhar. Ela está presente em todo o seu corpo. Está presente na sua alma. Quando seus olhos azuis pararem de teimosia e encontrarem os meus novamente, você vai se perguntar por que demorou tanto para fazer isso. Vai se perguntar por que perdeu tanto tempo. 

Eu já sei que você é teimoso, não precisa me provar isso. É uma característica nata de quem tem cabelos loiros e olhos azuis, não é mesmo? Só espero que essa teimosia impressa no seu DNA, não te impeça de cruzar o seu olhar com o meu mais uma vez. Porque se você demorar demais, talvez meus olhos já estejam fixados em outro olhar.